Imprimir
Categoria: Primeiro Plano
Visualizações: 4130

ANABELA MASSINGUE

RECENTEMENTE, Moçambique esteve representado na cidade turca de Istambul, no  Congresso Mundial de Gastroenterologia, através do Serviço de Gastroentrologia do Hospital Central de Maputo (HCM).

As discussões centraram-se nos distúrbios da função hepatobiliar e pancreática, doença inflamatória intestinal e microbioma intestinal e seu tratamento. A participação de Moçambique no evento acontece em reconhecimento do trabalho que o grupo liderado pelo gastroentrologista Prassad Modcoicar tem feito a nível da maior unidade hospitalar do país, na sua actividade diária em busca de solução para os desafios que esta sub-especialidade enfrenta. A propósito da participação do país no evento, a Reportagem do “notícias” entrevistou o chefe da equipa que representou o HCM e director do Departamento de Gastroenterologia, Prassad Modcoicar, que fala dos desafios, perspectivas e passos dados pelo serviço de gastroentrologia, volvidos cerca de 10 anos da sua existência. Segundo Modcoicar, as complicações da doença do trato gastrointestinal sempre tiveram um peso na morbi-mortalidade no país, com enfoque para as complicações da doença hepática crónica, bem como dos tumores hepáticos e do esófago. O contributo de parcerias na área de investigação pode ser, na óptica do entrevistado, crucial para combater doenças que o sector regista no dia-a-dia. Na conversa, o especialista fala também do apoio prestado pelo Instituto Nacional de Saúde, Faculdade de Medicina da Universidade Eduardo Mondlane, gesto que se junta ao da Direcção do HCM e do Ministério da Saúde (MISAU).