Imprimir
Categoria: Beira
Visualizações: 735

UM grupo de pescadores foi recentemente neutralizado na Praia Nova, na cidade da Beira, quando tentava levar consigo uma quantidadenão especificada de camarão e peixe, em desrespeito do período de veda em vigor até Abril.

De acordo com o chefe daFiscalização na Direcção Provincial do Mar, Águas Interior e Pescas de Sofala, César Mapossa, a neutralização foi possível graças ao trabalho da equipa de fiscalização,que tem estado a apertar o cerco aos furtivos.

Mapossa revelou ao “Notícias” que os pescadores foram multados e o produto confiscado e oferecido à Cadeia Central da Beira para o consumo dos reclusos.

“Estamos a intensificar a fiscalização em todos os pontos para que os furtivos não tenham campo de acção. Por exemplo, este camarão confiscado é ainda miúdo, indicando claramente que precisava de crescer”, explicou.

O responsável pela fiscalização no sector das pescas aproveitou a ocasião para voltar a apelar aos pescadores no sentido de contribuírem para proteger os recursos marinhos, evitando fazer-se ao mar neste período de interdição.

“Os pescadores devem saber que este recurso é de todos e visa a renda da comunidade, em geral. Vamos aguardar até à abertura,que será no mês de Abril”, recomendou o interlocutor.

A fiscalização está a ser efectuada conjuntamente com o sector do Mar e Pescas e a Polícia Costeira Lacustre e Fluvial.

Recorde-se que neste processoas autoridades contam com o reforço de duas embarcações.

Recorde-se que a neutralização de furtivos nestas alturas tem sido recorrente. No mesmo período do ano passado, por exemplo, a fiscalização do sector das Pescas desmantelou alguns furtivos ao longo da costa do distrito da Beira, após serem surpreendidos com camarão na calada da noite.

ADD//

Reprodução de camarãoem risco

CITANDOum estudo recentemente realizado pela Investigação Pesqueira, que aponta a redução da quantidade do camarão, o director do Mar, Águas Interior e Pescas, Carlos Sendela, afirmou há dias que a situação de escassez tende a se agudizar, razão pela qual toda a sociedade é convidada a ser fiscal.

De acordo com o mesmo estudo, o camarão tende a atingir o que se considera “linha vermelha”.

A fonte revelou na altura que foi precisamente este problema que precipitou a antecipação do período de veda. Mas defendeu que se for respeitado e não se fizer qualquer arrastoo camarão voltará a ser abundante nesta região.

“A outra nossa luta é impedir que as pessoas destruam os mangais,porque é lá onde o camarão e o peixe se reproduzem”.

O camarão e outros tipos de mariscos desovam nos mangais e a costa da cidade da Beira é considerada um dos importantes “ninhos”para a sua reprodução, processo após o qual o camarão e o peixe ainda miúdo avançam em direcção ao mar.

“É neste ciclo que se deve ter muito cuidado e não usar as redes de arrasto”, reiterou.