Director: Lázaro Manhiça

O GOVERNO português e a Rede Aga Khan para o Desenvolvimento (AKDN) doam hoje 200 mil máscaras na província de Maputo, no âmbito do combate à pandemia da Covid-19.

O esforço conjunto terá o duplo benefício de disponibilizar gratuitamente máscaras reutilizáveis a diferentes camadas da sociedade, fornecendo-lhes uma maior protecção à pandemia, lê-se num comunicado enviado à imprensa.

As entidades vão doar ainda cinco mil fatos para o pessoal médico e outros profissionais de saúde daquela província do sul de Moçambique.

Do total de 200 mil máscaras, 100 mil são reutilizáveis, sendo destinadas às entidades necessitadas daquela província e, as restantes, são máscaras cirúrgicas, que deverão ser entregues também a profissionais de saúde.

O apoio conjunto enquadra-se no plano de resposta à pandemia entre Portugal, os Países de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) e Timor-Leste, coordenado pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros português.

Moçambique regista um total de 1.219 casos positivos de covid-19, nove mortos e 369 pessoas recuperadas, segundo as autoridades de saúde.

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 569 mil mortos e infectou mais de 12,92 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detectado no final de Dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Comments

A ESCASSEZ de transporte público nas cidades de Maputo e Matola está a contribuir para o incumprimento das medidas de combate ao novo coronavírus nos terminais e paragens de passageiros. Uma das regras mais difíceis de se cumprir é o distanciamento físico, uma vez que os utentes dos “chapas” chegam a ficar, segundo apurámos, cerca de quatro horas à espera de autocarros.

Com a eclosão da pandemia, os operadores tiveram a orientação de que deviam observar várias medidas, com enfoque para a redução,até metade,do número de autocarros a operar por dia, decisão que visava forçar as pessoas a ficarem em casa e só saíremem caso de extrema necessidade. A orientação foi-se mostrando inadequada porque, antes da eclosão da doença,já era difícil em alguns destinos ter acesso a um meio de transporte e,com a nova medida, o cenário ficou mais complicado ainda.

Face à situação, as autoridades tiveram de recuar na decisão, permitindo que os transportadores operassem com a máxima capacidade, isto é, com cerca de 380 autocarros que compõem a frota dos operadores privados.

No entanto, segundo as autoridades de Saúde, combater a Covid-19 passa, necessariamente, pela observância das medidas de prevenção e contenção, numa altura em que o número de infectados no país tende a aumentar.

O cumprimento das referidas medidas por parte dos cidadãos, com destaque para o distanciamento físico, tem sido “um bicho de sete cabeças” nos terminais e paragens intermédias.

Enquanto não chega qualquer autocarro os utentes ficam nas filas, algumas comcerca de um quilómetro, e o distanciamento não é observado, o que tem propiciado ocontacto físico. Actualmente, ter acesso a um autocarro é um exercício penoso, sobretudo nas horas de ponta. Aliás, as pessoas aguardam pelo transporte por várias horas e acabam sentando, apertadas, nos bancos montados em algunsterminais. Leia mais

Comments

O CONSELHO Municipal da Cidade de Maputo (CMCM) está a monitorar os locais livres da venda informal como forma de evitar a sua reocupação. Segundo o vereador do Desenvolvimento da Economia Local no CMCM, Danúbio Lado, alguns informais insistem em exercer a sua actividade em locais inadequados, colocando a sua integridade física e a saúde pública em risco, mesmo depois de terem recebido guias para se apresentarem nos mercados, onde há bancas disponíveis. Leia mais

Comments

MAIS de metade das escolas secundárias da cidade de Maputo carece de intervenções no sistema de água e saneamento para que esteja em condições de receber alunos em ambiente seguro, a 27 de Julho corrente. Com efeito, das 22 escolas do segundo ciclo, apenas oito reúnem condições para a retoma do processo de ensino e aprendizagem. Leia mais

Comments

VENDEDORESinformais estão a regressar,de forma disfarçada,para desenvolver as suas actividades nos passeios da baixa da cidade de Maputo, meses após terem sido retirados compulsivamente pelo Conselho Municipal. Parte dos vendedores, que se fazem passar de clientes de algumas lojas, operam nas avenidas Guerra Popular, Filipe Samuel Magaia, Josina Machel, Zedequias Manganhela e Fernão de Magalhães. Leia mais

Comments

CONVERSAS AOS SÁBADOS

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

Presidente: Júlio Manjate

Administrator: Rogério Sitoe

Administrator: Cezerilo Matuce

JORNAL DIGITAL


Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction