Director: Júlio Manjate

Um atentado com um camião armadilhado matou, hoje, três pessoas, entre as quais dois polícias, e feriu cerca de 20 crianças de uma escola religiosa, no leste do Afeganistão, indicaram responsáveis.

O ataque, ocorrido na província de Laghman, visava o quartel-general da Polícia do distrito de Alishing, disse o porta-voz do governador provincial, Asadullah Daulatzai.

“Três pessoas, incluindo dois membros das forças de segurança, foram mortas e 27 ficaram feridas”, indicou o porta-voz do Ministério do Interior, Nasrat Rahimi.

A explosão foi tão forte que destruiu, parcialmente, uma madrassa (escola religiosa) vizinha. Cerca de 20 jovens estudantes foram “feridos com pedaços de vidro”, referiu Daulatzai, adiantando que seis polícias também ficaram feridos.

Os talibãs reivindicaram o ataque, que disseram ter matado dezenas de membros das forças de segurança.

Mais de 450 civis foram vítimas de ataques, 85 dos quais morreram na campanha eleitoral e na primeira volta das presidenciais, ocorrida a 28 de Setembro, sobretudo, devido aos talibãs, anunciou a ONU, na terça-feira.

Comments

Os 300 mil funcionários públicos do Zimbabweanunciaram,ontem,que não conseguem continuar a trabalhar, depois de os seus salários terem perdido todo o valor,devido à inflação galopante, de acordo com o seu sindicato.

A decisão dos funcionários surge,quando os médicos dos hospitais públicos estão em greve,há 44 dias,para exigir uma revalorização do seu salário, cujo valor caiu a pique num ano, desafiando uma ordem judicial da semana passada,para que regressassem ao trabalho.

“Os nossos salários deterioraram-se, passando de uma média de 500 dólares norte-americanos,em 2018,para apenas 40 dólares”, um valor que “diminui todos os dias”, disse Cecilia Alexander, presidente da confederação sindical,que representa a maioria dos trabalhadores do sector público, à excepção dos militares e polícias.

O sindicato notificou o Governo,de que os funcionários estão impossibilitados de ir trabalhar, precisou a responsável.

“Pedimos ao Governo,que se abstenha de intimidar qualquer trabalhador,que não compareça ao trabalho,até que seja encontrada uma solução para remediar essa incapacidade”, acrescentou.

A confederação instou os trabalhadores a parar de pedir dinheiro emprestado ou a ir a pé para o trabalho se não puderem pagar a deslocação.

"Vocês não precisam de se substituírem ao empregador", afirmou a organização sindical.

Esta posição dos funcionários faz aumentar a pressão sobre o Presidente zimbabueano, Emmerson Mnangagwa, após a recusa dos médicos de colocarem um fim ao seu protesto, desafiando a decisão judicial.

O Zimbabué está mergulhado,há mais de 20 anos,numa forte crise económica.

Este país da África Austral tem estado confrontado com a escassez, a queda da moeda local e uma elevada inflação - taxa anual superior a 300% em Agosto, segundo o Banco Mundial, mais do dobro, segundo estimativas de economistas.

Na segunda-feira, o sindicato dos professores nas zonas rurais também apelou aos seus membros,para não comparecerem ao trabalho, a fim de reivindicar uma revalorização dos seus ordenados.

Comments

A China expressou hoje "profunda indignação",depois de a Câmara dos Representantes norte-americana ter aprovado projectos de lei,que preveem sanções caso Pequim não respeite as liberdades civis em Hong Kong, e já prometeu retaliar.

"Hong Kong pertence à China e os assuntos do território são assuntos internos da China,que não tolera interferência externa", declarou o porta-voz da diplomacia chinesa, Geng Shuang, citado pela agência de notícias estatal Xinhua.

Shuang assegurou,que Pequim irá tomar medidas contra "as más decisões" de Washington, a fim de salvaguardar,firmemente,os interesses de soberania, segurança e desenvolvimento".

Um dos projectos de lei aprovados,na terça-feira,pela Câmara dos Representantes condena a ingerência de Pequim nos assuntos de Hong Kong e apoia o direito à liberdade de manifestação.

O segundo, intitulado de ‘Hong Kong Human Rights and Democracy Act”, implica uma reavaliação anual do estatuto particular,que os Estados Unidos concedem a Hong Kong,em termos comerciais e que prevê sanções contra os responsáveis chineses.

A presidente da Câmara dos Representantes, a democrata Nancy Pelosi, enfatizou que os projetos de lei, que ainda terão de ser aprovados no Senado, reforçam o apoio dos EUA em relação aos direitos humanos face aos interesses comerciais chineses.

Mas, para Pequim, "o actual desafio de Hong Kong,nada tem que ver com direitos humanos ou democracia. A questão,fundamental,é pôr fim à violência, restabelecer a ordem e garantir o Estado de direito".

"Caso a lei venha a entrar em vigor, não só prejudicará os interesses da China e das relações China-EUA, mas também prejudicará,gravemente,os interesses dos Estados Unidos", advertiu o porta-voz chinês.

Por último, o projeto de lei dos Estados Unidos proíbe,que armas norte-americanas sejam usadas contra os manifestantes,por parte da polícia de Hong Kong.

Os Estados Unidos "negarem as agressões violentas" cometidas pelos manifestantes de Hong Kong, sublinhou porta-voz chinês, é algo que "expõe a extrema hipocrisia de alguns norte-americanos (...) e a intenção de prejudicar a prosperidade e estabilidade de Hong Kong e conter o desenvolvimento da China".

Na mesma linha de Pequim, o Governo de Hong Kong já "lamentou" a recente aprovação e assegurou que, "desde o seu regresso à pátria, a região exerceu (...) um alto nível de autonomia",que serviu para garantir direitos e liberdades impensáveis na China.

Hong Kong vive há quatro meses a pior crise política desde a transferência de soberania do Reino Unido para a China, em 01 de Julho de 1997, com manifestações quase diárias,para denunciar a erosão das liberdades, a crescente influência do Governo chinês nos assuntos da região semiautónoma e para exigir reformas democráticas.

Comments

A EMPRESÁRIA angolana Isabel dos Santos afirmou à Lusa que o actual clima de “instabilidade” em Angola não é de confiança para os investidores e que é necessário assegurar que é um Estado de Direito “com separação de poderes”. “Estão a viver-se momentos difíceis, não há dúvida. Estamos a viver momentos de grandes dúvidas e o que é fundamental e importante é que se respeite o Estado de Direito. É muito importante que se respeitem as leis, é muito importante que não haja atropelos entre os três poderes, que as pessoas tenham confiança na justiça”, começou por explicar a empresária. Leia mais

Comments

TEM início hoje o julgamento do ex-Presidente sul-africano Jacob Zuma, acusado de corrupção num caso de armas que envolve o grupo francês Thales. O julgamento acontece depois que um tribunal sul-africano rejeitou unanimemente arquivar as queixas contra ex-chefe de Estado. "O pedido para abandonar o processo foi rejeitado", declarou semana passada o juiz Willie Seriti, do Tribunal Superior de Pietermaritzburg. Leia mais

Comments

CONVERSAS AOS SÁBADOS

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

Presidente: Bento Baloi

Administrator: Rogério Sitóe

Administrator: Cezerilo Matuce

JORNAL DIGITAL


Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction