Director: Lázaro Manhiça

SIGAROWANE O vinho detox - Djenguenyenye Ndlovu

A PORTA fechou-se com algum ruído, o suficiente para um ligeiro despertar, mas logo os olhos se fecharam em suave sono, que viria a desaparecer minutos depois. No entanto, mantendo-se sobre o colchão e os lençóis, que, mesmo com as temperaturas que se fazem sentir, deles não se desgruda. Ficou por mais algum tempo e há-de ter passado um sopro de sono,levezinho.

Era um domingo.

Levantou-se e puxou as cortinas em par. A luz do sol feriou-o, momentaneamente, a vista. Um fechar e abrir dos olhos até à habituação. Já a manhã estava avançada, talvez mesmo caminhando para a hora doze. Contornou a cama e fez rodar a maçaneta da porta, abriu-a para a sua esquerda e atingiu o pequeno corredor que dá à sala de estar, de comer e à cozinha. A porta que vai dar à varanda das traseiras estava aberta. E por ela ia entregar-se ao “vento” daquele dia. Já na varanda, do lado direito, uma mesa, daquelas que se dobram, com um monte de hortaliças frescas, maçarocas e outras coisas  por cima prenderam a sua atenção: o rapaz do campo tinha vindo, ou melhor, estava ali. Estava alipara reduzir os custos do dia, da semana, se calhar.

As galinhas e os seus dezenais pintos e a pata e a sua mais de dezena de patinhos, pela área com a sua música do pio-pio no chão de areia branca, debaixo da mangueira já desprovida de frutos.

 Aquela gracinha.

E então mais uma vez agradeceu ao Criador por aquele dia, por aquele momento que, certamente, a muitos seus iguais falta. E depois sorriu. Sorriu num misto de sentimentos de alegria e de tristeza: ele estava alegre e um seu igual algures, estava sofrendo pela falta de momento igual. E… procura consolar-se no “àvez”. Levantou os braços e abriu a boca num bem ruidoso bocejar. Aguardava pela notícia com que começaria o dia, antes de visitar o amigo barbeiro, a esplanada do Estrela do Mar ou o Restaurante Bilene, lugar de recente conhecimento que permite uma belíssima contemplação da lagoa Nyangono. Passam anos que não vê a água não obstante a sua presença frequente nas cercanias, a metros.

Mas esta é outra parte, outro lado do dia.

 É que é época de vindima e sabem-no da não muito recente guloseima pelos vinhos caseiros, sobretudo aqueles com efeitos desintoxicantes, mas ao mesmo tempo de cheiros bem desagradáveis, para a companheira, naquela casa de banho feita de caniço e sem água. O coração está aos pulos de tão longa que parece ser a espera, mas chega. Chega em copo, assim ao jeito experimental. O corpo estremece ao primeiro gole, depois o segundo e então pede uma cadeira. Poisa o copo na mesa das hortaliças e desta vez repara também na rama de batata-doce e algum piri-piri verde, leva, de novo, o copo aos lábios e despeja o conteúdo para a caverna do estômago. Fecha os olhos e abana o corpo. É  o próprio, diz ele a olhar para o chão feito de desperdício de tijoleiras ao mesmo tempo que faz um sinal para mais um copo. Já não vem um copo, uma jarra que deve ser para lá do litro. Encosta as costas da cadeira àparede e faz um quatro com a perna direita e o cotovelo da mão direita sobre o tampo da mesa. E já vai no terceiro e convoca para conversa, para assistência, porque sozinho, hum… e já há música, já há dança na barriga, já há solicitações para os sanitários.

Assim é que é começar o dia com o melhor detox que já conheceu.

Ainda deu parasair ao barbeiro, um homem de boa conversa, de bom ouvido. Sempre que por lá andasse, era com ele que fazia a barba, pagando quinze meticais, o cabelo vinte meticais. E saía bonito, diziam-no. Ele ria-se deles e agradecia-lhes pelo agrado que o debitavam. Já não tem como ser bonito, para eles.

O barbeiro morreu. Morreu passam meses, por aí sete. Ele não soube. A barbearia continua a funcionar, mas agora com uma cadeira apenas. Daquelas normais plásticas. Sentou-se e fez a barbaenquanto ouvia do que foram os últimos dias do seu amigo barbeiro.

Não foi a mais lugares. Voltou ao vinho, aos sanitários e à cama.

CONVERSAS AOS SÁBADOS

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

Presidente: Júlio Manjate

Administrator: Rogério Sitoe

Administrator: Cezerilo Matuce

JORNAL DIGITAL


Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction