Director: Júlio Manjate

Histórias e Reflexões:  Alunos pedintes, não!  (Eliseu Bento)

 

 

  

JÁ aqui me insurgi repetidas vezes sobre esta prática de meninas e meninos deambulando pelas ruas ou acocorados à entrada de estabelecimentos comerciais portando mealheiros e pedindo dinheiro para festas lá na escola.

Quando pensámos que a prática tenha passado à história, eis que volta e meia deparamos com grupos de duas/três meninas que se nos afrontam desenrolando-se em razões para no fim rogarem, de “joelhos no chão”, que desembolsemos os tostões que precisam para a festa ou baile de finalistas. Ainda que fosse para comprar um livro, um caderno, um lápis ou para tirar uma fotocópia!

Nada contra festas e bailes de finalistas e outras realizações. Nada mesmo! Tudo contra, isso sim, tudo contra meninas e meninos de mão estendida em plena estrada a pedinchar dinheiro a qualquer pessoa. Tudo contra mesmo!

Não me parece nada saudável, especialmente para as meninas, donzelas, expondo-se a tudo e a todos a troco de dinheiro. A tudo e a todos porque, entre todos aos quais se dirigem não faltam alguns titios engraçadinhos que podem muito bem fazer outras propostas a estas meninas pedintes a troco de mais dinheiro.

E algumas dessas meninas (de facto, preocupam-me mais as meninas do que eles), algumas dessas meninas, dizia, parecem bem “engomadinhas” e, não raro, alunas de  escolas privadas. E quem tem acesso à escola privada presume-se que esteja em condições de evitar a humilhação de andar a pedir na rua.

No meio de todo este descalabro, eis as perguntas que não calariam: De que lado estão as direcções das escolas destas meninas e meninos de rua? De que lado estão os pais e/ou encarregados de educação destes autênticos meninos de rua?

Ao que consta, estas romarias de pedidos de dinheiro são do conhecimento, ou, na pior das hipóteses, têm o beneplácito dos seus professores e directores.

O facto de estes meninos andarem por aí devidamente uniformizados pode dar a entender isso, porque, de outra forma, em plena hora lectiva, estariam a faltar a alguma aula.

Se já não é bom, pelo menos no meu entender, que crianças ainda em idade escolar manuseiem dinheiros, imagine-se o que significa credenciá-las para andarem pelas ruas e outros locais a pedirem dinheiro a pessoas dos mais diferentes temperamentos!

Quanto a mim, talvez fosse de melhor tom que os meninos fossem credenciados pelas direcções das suas escolas para irem prestar algum serviço em determinado local em troca de algo, dinheiro, comida, refrigerante ou outro qualquer produto para a festa que queiram organizar.

Aí até estaríamos a incentivar a cultura de trabalho. Estaríamos a ensinar às crianças a trabalharem para ganhar a vida. Estaríamos a transmitir-lhes a mensagem de que o dinheiro se ganha trabalhando, não pedindo por aí na rua.

Alguém tem que parar com isto. Alunos pedintes, ainda por cima na rua, não!

 

CONVERSAS AOS SÁBADOS

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

Presidente: Bento Baloi

Administrator: Rogério Sitóe

Administrator: Cezerilo Matuce

JORNAL DIGITAL


Template Settings

Color

For each color, the params below will give default values
Tomato Green Blue Cyan Dark_Red Dark_Blue

Body

Background Color
Text Color

Header

Background Color

Footer

Select menu
Google Font
Body Font-size
Body Font-family
Direction