Imprimir
Categoria: Política
Visualizações: 535

O antigo Presidente da República de Moçambique, Joaquim Chissano, diz que a actual situação que se vive na Renamo deve ser objecto de análise para se aferir se ameaça ou não a paz.

Segundo a Rádio Moçambique, Chissano falava segunda-feira, em Maputo, antes de proferir uma palestra sobre a vida e obra de Eduardo Mondlane, tendo defendido uma dissuasão pacífica das possíveis causas que levam a autoproclamada “Junta Militar” da Renamo a contestar o acordo de paz e reconciliação, assinado recentemente.

Chissano refere ainda que a Renamo deve recorrer ao diálogo para ultrapassar os diferendos internos, de modo a fazer prevalecer o sentido da paz.