Imprimir
Categoria: Política
Visualizações: 792

O partido extraparlamentar Nova Democracia pediu que a Polícia liberte 18 membros daquela força política detidos em Chókwè, província de Gaza, desde 15 de Outubro, dia de eleições, por “motivações políticas”, refere.

“Os nossos delegados de candidatura foram detidos, alegadamente, porque tinham credenciais falsas. Até agora permanecem na prisão. Está claro que há motivações políticas”, disse à Lusa Quitéria Guirengane, mandatária nacional do Nova Democracia (ND).

"Eles prenderam os nossos membros simplesmente porque queriam facilitar a manipulação do resultados eleitorais em Gaza".

“Não faz sentido acusarem-nos de falsificar credenciais que eles próprios nos deram”, referiu.

Guirengane acrescenta que os agentes da Polícia que detiveram os membros daquele partido estavam acompanhados por responsáveis da direcção provincial do Secretariado Técnico de Administração Eleitoral (STAE).

A Lusa tentou, sem sucesso, contactar a Polícia em Gaza e o gabinete de comunicação dos órgãos eleitorais.

O ND submeteu um recurso junto do Conselho Constitucional exigindo a libertação dos seus membros, após um primeiro documento ter sido rejeitado pelo Tribunal Distrital de Chókwè, na quinta-feira.