Imprimir
Categoria: Nacional
Visualizações: 1217

Os transportadores nacionais queixaram-se ontem de prejuízos devido aos ataques armados no centro do país, exigindo uma solução urgente para conter a violência armada na região.

"Nós olhamos para a situação com preocupação porque os nossos camiões uma vez queimados não são restituídos. Vocês sabem que os seguros não prevêem a restituição de uma viatura danificada”, declarou Henriques Castro, porta-voz da Associação dos Transportadores de Sofala (Astros), no fim de uma reunião de balanço do ano da agremiação naquela província.

Em causa estão os ataques que têm sido registados nas províncias de Manica e Sofala, segundo a Lusa.

Para o porta-voz da Astros, os ataques têm impacto sobre a imagem do país, que é uma alternativa para os países vizinhos que recorrem às estradas moçambicanas para chegar aos portos por não ter acesso ao mar.

“O Governo tem de encontrar uma solução urgente”, frisou Henriques Castro, alertando que há transportadores que equacionam abandonar a rota devido à insegurança e outros que já perderam os seus camiões devido aos ataques.

O Governo responsabiliza a Renamo pelos ataques no centro, acusando o principal partido de oposição de estar a violar o Acordo de Paz e Reconciliação assinado entre o líder daquela força política, Ossufo Momade, e o chefe de Estado, Filipe Nyusi, em Agosto deste ano.