Imprimir
Categoria: Nacional
Visualizações: 1129

A viatura na qual viajavam as 20 vítimas mortais do acidente ocorrido no último domingo na Macia, com capacidade para apenas 15 pessoas, não estava licenciada para aquela actividade de transporte e embarcou os passageiros fora do recinto do Terminal Interprovincial da Junta, como devia ter sido por norma.

Segundo dados partilhados pelo Instituto Nacional de Transportes Terrestres (INATTER), os passageiros terão sido transferidos de uma viatura que os transportou desde a África do Sul, de onde eram provenientes, numa operação feita à revelia das normas e do controlo das autoridades.

Devido às irregularidades que caracterizaram a operação, as autoridades estão a ter dificuldades de localizar os familiares das vítimas para articular procedimentos relativos ao funeral. Até ontem, treze das vinte vítimas tinham sido reclamados pelos familiares.

Como estratégia para flexibilizar o processo de localização dos familiares, o INATTER diz ter encetado diligências junto das autoridades sul-africanas, visando a obter a lista de passageiros que saíram daquele país transportados na viatura da qual viriam a ser transferidos para outra, já em território moçambicano.

“Estamos a trabalhar para localizar a lista de passageiros que foi usada na viatura que partiu da África do Sul para Moçambique. A partir dela esperamos poder contactar os familiares das vítimas”, explicou a directora-geral do INATTER, Ana Simões.

Ana Simões confirma que a viatura que se envolveu no sinistro tinha uma lotação de 15 lugares e estava acima da norma.

Os viajantes eram provenientes da África do Sul e tinham como destino os distritos de Chibuto, Mandlakazi, Macia e cidade de Xai-Xai, na província de Gaza.

Entretanto, mesmo não estando credenciada para fazer o transporte de passageiros numa rota interprovincial e com a lotação acima da sua capacidade, a viatura da marca Toyota, modelo Quantum, passou por vários postos de controlo e de fiscalização montados pela Polícia ao longo do troço.

Perante tal cenário, para evitar que situações do género se repitam ao longo da quadra festiva e não só, o INATTER apela aos transportadores e passageiros a cumprirem as normas de segurança rodoviária, evitando envolver-se em esquemas para contornar os mecanismos e procedimentos formais.

A directora-geral do INATTER explica que o aumento da procura de transportes nesta altura do ano tem dado lugar ao oportunismo por parte de motoristas não licenciados, por isso, alerta aos viajantes a não embarcar fora dos terminais e procurar sempre seguir os procedimentos estabelecidos.

Ana Simões falava ontem, em Maputo, à margem da cerimónia de entrega simbólica de meios de fiscalização rodoviária à Polícia de Trânsito. O material é composto por 100 lanternas, 10 megafones, 50 bastões de sinalização, 100 coletes e 300 apitos de trânsito.

A chefe do Departamento da Polícia de Trânsito no Comando-Geral da PRM, Micaela Gonçalves, disse que a entrega do equipamento acontece numa ocasião oportuna, pois a corporação é chamada a redobrar a fiscalização rodoviária de modo a reduzir os acidentes.