Imprimir
Categoria: Ciência, Tecnologia e Ambiente
Visualizações: 8787

A população moçambicana deve preparar-se para a migração digital da televisão em curso no país, de modo a evitar uma situação de apagão do sinal analógico, quando o Governo decretar o “switch off” do sistema na transmissão e recepção do mesmo.

A informação foi prestada, hoje, por Victor Mbebe, presidente da TMT, Transporte, Multiplexação e Transmissão, falando à nossa Reportagem sobre o processo de migração cujo sinal está disponível no país desde Dezembro de 2018.

“Todos devem estar preparados para receber o sinal de televisão digital, que tem maior qualidade de imagem e som, adquirindo os descodificadores da TMT disponíveis para o efeito, porque a qualquer momento, no próximo ano, o Governo pode mandar fechar o sinal analógico”, disse.

Segundo a fonte o processo de migração digital já está num estado bastante avançado, faltando apenas concluir a instalação de três emissores de transmissão deste digital, nomeadamente, cidade de Maputo, Songo na província de Tete e no distrito de Chinde, na Zambézia.

Mbebe explicou que neste momento decorre a instalação dos três últimos emissores de um total de 60 planificados para garantir a cobertura nacional. Os três últimos emissores poderão entrar em funcionamento logo que estiverem concluídos, provavelmente em Janeiro e desta forma, completar os 60 emissores necessários para a cobertura nacional digital.

“No país, já existem 400 mil descodificadores de sinal digital da TMT, e até ao momento, 30 mil já foram adquiridos nas 57 regiões, onde o sinal digital já pode ser captado por este equipamento, contou Mbebe.

Os descodificadores da TMT permitem ao cidadão aceder a todos canais nacionais de forma gratuita e apenas pagar para ter acesso aos canais estrangeiros.